O que é populismo?


Tié Lenzi
Tié Lenzi
Licenciada em Direito

O populismo é uma forma de governar em que existe mais atenção às necessidades de pessoas mais pobres ou necessitadas da sociedade. Isso acontece principalmente por meio de criação de políticas de assistência e de outras formas de ajuda social.

O populismo recebeu esse nome porque nessa maneira de governar o povo é o objeto central do governo e as decisões tomadas têm o objetivo de conquistar apoio popular para o governante.

Características do populismo

O populismo tem algumas características que são comuns em quase todos os governos. Veja algumas:

  • o governante costuma ser uma figura cativante e muito popular,
  • existe a busca por meios de ter uma relação bem próxima com os cidadãos,
  • aprovação de medidas de assistência social que garantem direitos ao povo,
  • uso de propaganda pessoal do governante,
  • são feitos grandes investimentos financeiros para desenvolver o país,
  • aumento da inflação como consequência dos altos investimentos feitos pelos governos. 

É comum que nos governos populistas sejam tomadas decisões que beneficiem a população, como a garantia de direitos e a criação de benefícios assistenciais. Isso faz com que o povo tenha mais tendência a simpatizar com o governante e a apoiar o governo.

Por esse motivo o populismo é considerado por muitos como um governo demagógico, já que muitas decisões são tomadas para conquistar a simpatia e o apoio das classes mais baixas da população.

O populismo no Brasil

O Brasil viveu alguns governos populistas entre os anos de 1930 e 1964. Esse período de 34 anos ficou conhecido como República Populista.

Getúlio Vargas é considerado o maior presidente populista que o Brasil teve. Além dele também foram presidentes nesse período:

  • José Linhares: de 1945 a 1946,
  • Eurico Gaspar Dutra: de 1946 a 1951,
  • Café Filho: de 1954 a 1955,
  • Carlos Luz: 1955,
  • Nereu Ramos: de 1955 a 1956,
  • Juscelino Kubitschek: de 1956 a 1961,
  • Jânio Quadros: 1961,
  • Ranieri Mazilli: 1961,
  • João Goulart: de 1961 a 1964.

O populismo e a Era Vargas

Getúlio Vargas foi presidente do Brasil duas vezes. A primeira entre 1930 e 1945 e a segunda entre 1951 e 1954.

Getúlio foi considerado um presidente populista porque durante seu governo foram tomadas muitas decisões que trouxeram benefícios aos cidadãos, como a aprovação de leis trabalhistas e a criação da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) em 1943. Por esse motivo Getúlio ficou popularmente conhecido como "pai dos pobres".

No primeiro governo de Getúlio Vargas, que durou 15 anos, foi publicada a Constituição Federal de 1934. Esta Constituição trouxe várias medidas que beneficiavam os cidadãos:

  • foi criado o salário mínimo,
  • a educação foi definida como um direito a que todos os cidadãos deveriam ter acesso,
  • a jornada de trabalho foi diminuída,
  • foi criada a data comemorativa do Dia do Trabalhador em 1º de maio,
  • foi garantido o direito de voto para as mulheres.
GV
Getúlio Vargas

Já no seu segundo governo Getúlio Vargas tomou decisões para aumentar o desenvolvimento econômico do país e para conquistar o apoio da população.

Uma das principais medidas foi o lançamento da "Campanha do Petróleo", que tinha o objetivo de garantir que a exploração de petróleo no Brasil fosse feita pelo Estado.

Fim do populismo

O final do período da República Populista aconteceu em 1964, a partir do golpe militar, quando os militares tomaram o poder no país.

Nesse momento o Brasil iniciou o período da ditadura militar, que durou até 1985.

Saiba como foi a ditadura militar no Brasil.

Veja também

Tié Lenzi
Tié Lenzi
Formada em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande (2009) e mestranda em Ciências Jurídico-Políticas na Universidade do Porto, Portugal.
Página publicada em 25 de Maio de 2018 e última atualização em 25 de Maio de 2018 às 15:05.
Aviso: Este site não está relacionado a nenhum órgão de governo, autoridade pública, empresa pública ou sociedade econômica mista.