O que é socialismo?


Tié Lenzi
Tié Lenzi
Licenciada em Direito

Socialismo é um sistema político e econômico que tem como base a igualdade e a distribuição justa de riquezas.

Esse sistema ideológico propõe mudanças sociais, políticas e econômicas que sejam capazes de diminuir as desigualdades em uma sociedade.

O conceito de socialismo é amplo, mas pode ser definido como um conjunto de doutrinas que têm como base a transformação para sociedade mais justa a partir da distribuição de propriedades e da eliminação das classes sociais.

O que o socialismo defende?

No socialismo, a coletividade e o bem-estar social são prioridades em relação aos interesses individuais. Por isso, coletividade e igualdade são dois conceitos fundamentais que norteiam as ideias da ideologia socialista.

Características do socialismo

As ideias mais importantes defendidas pelo socialismo são:

  • eliminação da divisão da sociedade em diferentes classes sociais,
  • redução das desigualdades sociais,
  • subordinação do interesse individual ao interesse coletivo,
  • os meios de produção devem ser de todos os cidadãos,
  • eliminação da ideia de competição,
  • lucro da produção dividido justamente entre os trabalhadores,
  • recursos aplicados em benefícios para a população,
  • intervenção e regulamentação estatal para garantir mais igualdade.

Para atingir esses objetivos, o fruto do trabalho dos cidadãos seria controlado pelo Estado e dividido de forma justa entre todos. Assim, as ideias de competição, obtenção de lucro e desigualdade social já não seriam mais uma realidade.

Além disso, os serviços públicos que conferem direitos aos cidadãos, como saúde e educação, seriam obrigatoriamente fornecidos pelos Estado.

Como surgiu o socialismo?

O nascimento do pensamento socialista é ligado com as críticas ao capitalismo surgidas durante o século XVIII, especialmente em relação às desigualdades sociais que já eram bem evidentes nesse período.

O filósofo e economista francês Henri de Saint Simon (1760-1825) foi a primeira pessoa a propor as ideias que fundaram a base do socialismo. Ele defendia a divisão justa do que era produzido através do trabalho.

Ele também era defensor da ideia de que somente uma sociedade industrializada poderia ajudar a França da sair da crise que vivia na época.

Depois da ideias iniciais sustentadas por Saint Simon, Karl Marx (1818-1883) e Friedrich Engels (1820-1895) contribuíram ainda mais para o fortalecimento do ideal socialista.

Marx e Engels eram grandes críticos do capitalismo e acreditavam na ideia de uma revolução social que passava pela luta de classes. Suas ideias podem ser encontradas na obra Manifesto Comunista, publicada originalmente no ano de 1848.

MarxEngels
Estátua de Karl Marx e Friedrich Engels na cidade de Berlim (Alemanha).

Socialismo utópico e socialismo científico

O socialismo utópico e o socialismo científico são as duas principais correntes de pensamento socialista. Possuem bases semelhantes, mas com algumas diferenças.

Saiba um pouco mais sobre cada uma delas:

Socialismo utópico

O socialismo utópico foi a primeira corrente de pensamento socialista, desenvolvida no começo do século XIX. Tinha como ideia central a construção de uma sociedade ideal, em que houvesse menos desigualdade social e distribuição mais justa de riquezas e de oportunidades.

Essa corrente, influenciada pelos problemas sociais que surgiram durante o período da Revolução Industrial, foi desenvolvida por Saint-Simon (1760-1825), Robert Owen (1771-1858) e Charles Fourier (1772-1837).

Os pensadores do socialismo utópico acreditavam que a sociedade ideal existiria partir da ideia de trabalho cooperativo e coletivo.

Além disso, ao contrário de Marx e Engels, os autores do socialismo utópico defendiam que a luta de classes entre o proletariado e a burguesia não seria necessária, sendo esse o motivo pelo qual a vertente ficou conhecida como utópica.

Crítica de Karl Marx ao socialismo utópico

Karl Marx foi um dos maiores críticos do socialismo utópico e apontou as falhas da ideologia, conforme sua opinião.

Segundo ele, ainda que a corrente fosse baseada em ideias socialistas, era uma visão idealizada de reforma, que não possuía medidas eficazes para proporcionar as mudanças sociais necessárias para tornar a sociedade mais igualitária.

Socialismo científico

O socialismo científico (também chamado de marxismo) foi a vertente do pensamento socialista criada por Karl Marx (1818-1883) e Friedrich Engels (1820-1895) em 1840.

A teoria propõe mudanças políticas, econômicas e sociais para acabar com as desigualdades sociais.Ao contrário do socialismo utópico, o modelo científico propunha uma análise crítica e mais científica dos problemas sociais e dos efeitos do capitalismo na sociedade.

Para o marxismo, a mudança social passa pela luta de classes e pela revolução do proletariado, pois o capitalismo é considerado o causador da divisão social entre burguesia e proletariado. A burguesia explora o trabalho e o proletariado é explorado e sustenta o sistema.

Poucos anos depois, em 1848, Marx e Engels, lançaram o Manifesto Comunista, que contém as principais ideias do socialismo científico.

Em 1867, Marx lançou o livro O Capital, uma das mais importantes referências sobre socialismo científico. Na obra ele explica seus conceitos sobre capital, divisão social do trabalho e luta de classes como meio de transformação social.

Países socialistas

Países como China, Cuba e Coreia do Norte adotam o sistema socialista atualmente.

É importante saber que não existe uma única maneira de adotar o sistema socialista como forma de governo. Muitos países adotam esse modelo, o colocando de prática de diferentes maneiras e com diversas políticas públicas distintas.

Existem países que não são oficialmente socialistas, mas que aplicam alguns conceitos em sua forma de governar, principalmente em relação às políticas públicas adotadas para benefício dos cidadãos. São bons exemplos: políticas de saúde e de educação.

O socialismo e o capitalismo

O socialismo e o capitalismo são sistemas opostos. Enquanto o socialismo deseja a diminuição das diferenças entre classes sociais, o capitalismo, em razão de seus princípios, estimula ainda mais o crescimento desses contrastes.

O capitalismo encoraja a ideia de acúmulo de riqueza, a partir da venda de bens ou serviços. A presença do conceito de propriedade dos meios de produção também é fundamental para esse sistema.

Para os críticos, é justamente por essas razões que o capitalismo aumenta as desigualdades sociais, já que o acúmulo de bens e de dinheiro beneficia uma pequena parte da população (burguesia).

Leia mais sobre capitalismo.

Veja também

Tié Lenzi
Tié Lenzi
Formada em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande (2009) e mestranda em Ciências Jurídico-Políticas na Universidade do Porto, Portugal.
Página publicada em 4 de Junho de 2019 e última atualização em 4 de Junho de 2019 às 11:06.
Aviso: Este site não está relacionado a nenhum órgão de governo, autoridade pública, empresa pública ou sociedade econômica mista.