Os movimentos sociais no Brasil


Tié Lenzi
Tié Lenzi
Licenciada em Direito

Os movimentos sociais são grupos de pessoas que se reúnem com um interesse em comum. Em geral estes grupos se formam para lutar por um direito, por uma mudança social que desejam na sociedade ou para se posicionar contra uma mudança.

Os movimentos existem com o objetivo de promover alterações na ordem social ou de chamar atenção de outros cidadãos e dos governos para uma situação insatisfatória ou injusta.

Muitas vezes os movimentos surgem espontaneamente para lutar por direitos ou para alterar alguma situação de injustiça. Depois do surgimento espontâneo os movimentos são organizados para determinar quais medidas serão tomadas para efetivar que os objetivos sejam atingidos.

História dos movimentos sociais no Brasil

A história dos movimentos sociais se mistura com a história do Brasil, pois movimentos sociais sempre existiram no país.

Os movimentos sociais podem ter a forma política que têm hoje, mas em outros períodos da história também aconteceram de forma diferente, até mesmo na forma de revoluções.

Podem ser movimentos previamente organizados ou espontâneos, formados por cidadãos, por grupos (como grupos políticos ou sindicatos) e por Organizações Não Governamentais (ONGs).

Alguns movimentos sociais podem durar apenas por algum tempo, pois foram formados por uma causa em especial. Outros podem prolongar sua ação no tempo, pois tem atuação em uma área que reivindica muitos direitos.

Existem e existiram inúmeros movimentos sociais no país. Conheça um pouco dos principais movimentos de luta por direitos do Brasil.

Inconfidência Mineira

A Inconfidência Mineira foi uma tentativa de separação da capitania de Minas Gerais, ocorrida no ano de 1789. A capitania desejava livrar-se do domínio da Coroa Portuguesa, mas o movimento não atingiu seu objetivo pois foi contido pelo governo.

Este movimento social, também conhecido como Conjuração Mineira, representou a busca pela liberdade dos cidadãos mineiros, que desejavam tornar-se livres da dominação de Portugal.

Revolução Federalista

A revolução aconteceu no sul do Brasil entre os anos de 1893 e 1895. Foi ocasionada pela insatisfação dos federalistas com o governante do Rio Grande do Sul, Júlio de Castilhos, membro do Partido Republicano Rio-Grandense

O movimento se caracterizou pelo enfrentamento de dois grupos opostos: os maragatos e os chimangos. Os maragatos eram os revolucionários que desejavam tirar o governador do poder e os chimangos apoiavam a manutenção do político no cargo.

Revolta da Chibata

O movimento que ficou conhecido como a Revolta da Chibata aconteceu em forma de rebelião e ocorreu no Rio de Janeiro no ano de 1910.

Era formado por marinheiros que exigiam duas medidas: o reconhecimento de negros como pessoas livres e o fim do castigo físico de chibatadas que era aplicado aos marinheiros negros.

Movimento Negro

Movimento negro é o nome dado a diversos movimentos sociais que existem para combater o preconceito racial na sociedade. Desde o período da escravidão no Brasil já existiam movimentos de resistência e de libertação do povo negro.

movimento negro

Com o passar do tempo o movimento foi mudando e abrangendo outras pautas ligadas às questões raciais. A partir da década de 70 o movimento se fortaleceu e conseguiu aumentar a atenção social por suas demandas.

Além de lutar pela diminuição do preconceito e pelo combate ao crime de racismo, o movimento negro também discute outras questões como mais inclusão na educação (como a Lei das Cotas), no mercado de trabalho e a preservação cultural das suas origens.

Movimento Indígena

O movimento indígena brasileiro luta pela proteção dos direitos dos índios brasileiros, principalmente a proteção do seu povo, sua cultura, línguas, hábitos e tradições.

Uma das pautas mais importantes para os índios é a proteção e a demarcação das terras indígenas, direito reconhecido na Constituição Federal de 1988.

Além disso, o movimento indígena busca o reconhecimento das particularidades da etnia, garantia de educação e o direito aos cuidados de saúde direcionados às necessidades específicas deste povo.

Movimento Estudantil

O movimento estudantil é formado por diversos movimentos que atuam no ativismo ligado não só à educação, mas a diversas questões sociais, políticas e econômicas. Fazem parte do movimento estudantil estudantes de todas as áreas, tanto de escolas (secundaristas), como de universidades (universitários).

A União Nacional dos Estudantes (UNE) é a maior organização de estudantes do Brasil. Foi fundada em 1937 e desde então atua nos movimentos sociais e políticos do país. Há também a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), fundada em 1948.

une

No Brasil o movimento estudantil já foi importante em diversos momentos da história, como no período da Revolução de 1930, no movimento dos Caras Pintadas e na luta de resistência durante o período da ditadura militar (1964-1985).

Na história mais recente o movimento estudantil teve participação ativa nas manifestações populares iniciadas em 2013 e nos protestos dos estudantes secundaristas de São Paulo entre 2015 e 2016.

Diretas já

O movimento das Diretas já surgiu no fim do período da ditadura militar, em 1984. O nascimento do movimento ocorreu pela necessidade dos cidadãos de pedirem a volta da eleição direta para o cargo de presidente da República.

O movimento se espalhou por todo o país, com grandes manifestações, e teve o apoio de grande parte da população, além de intelectuais e artistas brasileiros. Apesar da força do movimento, a primeira eleição direta no Brasil após o fim da ditadura aconteceu somente no ano de 1989.

Conheça mais sobre as Diretas já.

Caras Pintadas

O movimento que ficou conhecido como Caras Pintadas surgiu em 1992 e foi constituído principalmente por estudantes. Iniciado na cidade de São Paulo, espalhou-se rapidamente pelas principais capitais do país e recebeu este nome pois os estudantes compareciam às manifestações com os rostos pintados nas cores da bandeira do Brasil.

caras pintadas

O grupo surgiu quando o presidente Fernando Collor e Paulo César Farias foram acusados de crimes de corrupção e o objetivo do movimento era conseguir o impeachment do presidente. Collor não sofreu impeachment pois renunciou ao cargo em dezembro de 1992.

Movimento dos Trabalhadores Sem Terra

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) é um movimento social, surgido na década de 80, formado por trabalhadores rurais de todas as regiões de país.

A principal demanda do movimento é democratização do acesso à terra através da realização da reforma agrária no país, ou seja, que as terras improdutivas do país sejam divididas e distribuídas para uso dos pequenos produtores rurais (assentamento).

O MST também luta por outras causas ligadas ao trabalho rural, como o controle dos processos de industrialização da produção agrícola e o combate à desvalorização do produtor rural.

Movimento Mulheres em Luta

O movimento surgiu no ano de 2008 e luta ativamente pelo reconhecimento de direitos das mulheres em várias áreas, além de combater opressões sociais que são sofridas pelas mulheres. Envolve mulheres trabalhadoras, estudantes, negras, indígenas e comunidade LGBT.

Dentre as pautas do movimento estão o combate à violência doméstica e à opressão da mulher, a preservação de direitos já conquistados, direitos trabalhistas e a inclusão de mais mulheres no cenário político do país.

Leia mais sobre a história do movimento feminista no Brasil.

Movimento Passe Livre

O movimento surgiu em 2005 com o objetivo de reivindicar a adoção da tarifa zero nos meios de transporte públicos para que todos os cidadãos, independentemente de suas condições, tenham acesso garantido aos transportes públicos.

O movimento surgiu na cidade de Porto Alegre e se espalhou rapidamente por várias cidades do país.

Movimentos sociais na atualidade

Hoje em dia muitos dos movimentos sociais que existem no país são motivados por desigualdades sociais e por falta de garantia de direitos. É uma situação comum que os movimentos surjam para lutar por direitos referentes às minorias.

O que são minorias?

Os grupos que são chamados de minorias são compostos por pessoas que estão em alguma situação de desvantagem em comparação ao resto da sociedade. Apesar do nome minoria, não significa que elas existam em menor quantidade, o termo minoria é usado para caracterizar sua condição de desigualdade social.

A população negra é um exemplo desta situação. De acordo com o último censo do IBGE, aproximadamente 54% da população brasileira se autodeclara como negra ou parda, ou seja, em números eles representam a maioria do país. Entretanto, sabe-se que a população negra ainda enfrenta dificuldades de acesso ao estudo e ao mercado de trabalho, além das questões de preconceito racial.

Assim, ainda que seja uma maioria numérica, a população negra é considerada uma minoria. Outros grupos que também são considerados minorias são: mulheres, portadores de deficiência e os membros da comunidade LGBT.

Tipos de movimentos sociais

Os movimentos sociais podem ser de diferentes tipos, de acordo com a forma como se organizam e com as motivações que deram origem ao seu surgimento. Amplamente os movimentos sociais podem ser: reivindicatórios, políticos, de classe e de resistência.

Movimentos sociais reivindicatórios

Os reivindicatórios são os movimentos que se formam para pedir por alguma transformação, seja a alteração de uma situação, um novo direito ou qualquer outra questão que deva ser alterada na sociedade.

A união de um movimento reivindicatório é fundamental para exercer pressão sobre o Estado e os governos para que a mudança seja alcançada.

Movimentos sociais políticos

Os movimentos políticos podem ter entre suas causas todas às questões ligadas à política do país, desde o debate sobre a obrigatoriedade do voto até a conscientização da população sobre a importância da participação nas decisões políticas do país.

Movimentos sociais de classe

Os movimentos de classe envolvem questões que podem ser ligadas às diferenças e desigualdades sociais. Também podem se referir a questões que sejam de uma classe (grupo) específico de pessoas.

Por exemplo: um movimento social que lute por determinado direito que é específico de trabalhadores ou das mulheres.

Movimentos sociais de resistência

Os movimentos de resistência são grupos que se surgem para se posicionar contrariamente a uma decisão tomada ou uma situação que já está estabelecida.

O mais famoso exemplo de movimento de resistência do Brasil aconteceu durante o período da ditadura militar, quando as pessoas contrárias ao regime ditatorial formaram a resistência contra o governo militar.

Veja também

Tié Lenzi
Tié Lenzi
Formada em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande (2009) e mestranda em Ciências Jurídico-Políticas na Universidade do Porto, Portugal.
Página publicada em 7 de Março de 2019 e última atualização em 7 de Março de 2019 às 21:03.
Aviso: Este site não está relacionado a nenhum órgão de governo, autoridade pública, empresa pública ou sociedade econômica mista.