O que é a Lei de Drogas?


Tié Lenzi
Tié Lenzi
Licenciada em Direito

A Lei de Drogas (lei nº 11.343/06) criou no Brasil o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas, definiu medidas para a prevenção do uso de drogas e criou políticas de atenção e cuidados aos dependentes químicos.

A lei também estabeleceu metas e regras para a ação no combate ao tráfico de drogas e definiu quais são os crimes relacionados ao tráfico e associação ao tráfico de drogas.

Principais destaques da lei

Um ponto importante que deve ser destacado é que a Lei de Drogas diferencia o usuário do traficante. Essa diferenciação é importante para estabelecer quais medidas devem ser aplicadas a cada um dos casos.

Outro ponto importante é que a lei não descriminalizou o consumo de drogas, mas estabeleceu a despenalização do uso. Isso significa que o uso de drogas ainda é crime, mas o usuário não pode ser preso em flagrante pelo consumo de drogas.

Para o usuário a lei estabeleceu que deve ser dada uma pena alternativa, como o cumprimento de medidas socioeducativas ou prestação de serviços à comunidade, além de receber uma advertência. Já o traficante ou o financiador do tráfico podem ser condenados por até 20 anos de prisão.

Usuário de drogas

A lei definiu no art. 28 que é crime comprar, guardar ou transportar drogas para consumo próprio. 

A lei despenalizou o consumo de drogas, ou seja, não existe a previsão de pena de prisão para o usuário de drogas. Assim, a lei deixou de tratar o usuário como um criminoso e passou a tratá-lo como uma pessoa que deve receber tratamento para livrar-se do vício.

Para o usuário são previstas as aplicações das seguintes medidas:

  • receber uma advertência sobre os efeitos causados pelo uso de drogas,
  • pena de prestação de serviços à comunidade,
  • medida educativa de comparecimento a programa educativo sobre drogas, para beneficiar seu tratamento.

O que acontece se o usuário não cumprir as medidas?

Caso o usuário descumpra as medidas que forem determinadas pelo juiz, ele pode receber uma nova advertência. Além disso, o juiz pode determinar que seja feito o pagamento de uma multa. 

Crimes relacionados às drogas

A lei definiu que são crimes relacionados às drogas: tráfico, participação no uso de entorpecentes, associação ao tráfico, associação para o financiamento do tráfico e colaboração com associação para o tráfico.

Tráfico de drogas

No art. 33 estão definidas quais são as ações criminosas relacionadas ao tráfico de drogas. Veja:

Art. 33.  Importar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, transportar, trazer consigo, guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar.

Para o tráfico de drogas as penas podem variar de 5 a 15 anos de prisão.

O mesmo artigo também estabelece outras condutas que são equiparadas ao crime de tráfico. São alguns exemplos: produzir, transportar, plantar, guardar ou vender matéria-prima ou materiais que sejam destinados à preparação de drogas. Estas condutas também podem ser punidas com as mesmas penas do tráfico.

Os crimes previstos neste artigo são inafiançáveis e não podem receber graça, indulto e anistia. Quem cometer estes crimes também não tem direito à liberdade provisória. Apenas é permitida a concessão de liberdade condicional depois que forem cumpridos dois terços da pena.

Participação no uso de entorpecentes

O crime de participação no uso acontece quando se oferece ou induz uma pessoa ao consumo ou uso indevidos de drogas. Para este crime a pena prevista é de 1 a 3 anos.

Da mesma forma, a lei prevê que oferecer drogas a uma pessoa, para consumo em conjunto, ainda que gratuitamente, também é crime. Para esta conduta a pena prevista é de 6 meses a 1 ano de prisão.

Associação ao tráfico de drogas

A associação ao tráfico de drogas é a união de duas ou mais pessoas para a prática dos crimes que são previstos no art. 33 da lei (tráfico de drogas).

Para o crime de associação ao tráfico a pena pode variar de 3 a 10 anos de prisão.

Associação para o financiamento do tráfico de drogas

O crime de financiamento do tráfico de drogas consiste em financiar ou cobrir os custos dos crimes previstos no art. 33 (tráfico de drogas). As penas para essa conduta variam de 8 a 20 anos de reclusão. 

Colaboração com associação para o tráfico

É crime de colaboração com o tráfico a conduta de ajudar, como informante, qualquer associação ou organização que seja voltada à prática do tráfico de drogas. A pena para este crime pode variar de 2 e 6 anos de prisão.

Como a lei diferencia o traficante do usuário de drogas?

Para definir se trata-se de um traficante ou de um usuário de drogas a lei prevê que devem ser analisados dois aspectos. Primeiramente deve ser analisado qual o tipo de droga apreendido, o local e a ação onde aconteceu a apreensão.

Além disso, a lei define que devem ser analisadas as quantidades, para determinar se a droga é para uso pessoal ou se é destinada para o tráfico.

Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas (Sisnad)

O Sisnad foi criado para prevenir o uso de drogas, criar formas de reinserção social de dependentes químicos e reprimir a produção não autorizada e o tráfico de drogas.

As políticas de drogas foram criadas para garantir os seguintes objetivos:

  • proporcionar aos cidadãos mais conhecimento sobre o uso de drogas no Brasil,
  • reduzir o número de usuários de drogas, de pessoas com comportamento de risco e traficantes através de mais inclusão social,
  • ter políticas sociais de prevenção do uso de drogas,
  • desenvolver políticas públicas para o tratamento de dependentes químicos,
  • criar políticas que sejam capazes de diminuir o tráfico de drogas e a produção não autorizada de entorpecentes.

Para atingir estes objetivos a lei define que alguns princípios devem ser levados em conta, como os seguintes:

  • respeito aos direitos humanos, à diversidade e à liberdade de escolha dos cidadãos,
  • a difusão dos valores de cidadania, cultura e ética como proteção ao risco do uso de drogas,
  • divisão da responsabilidade entre o Estado e a sociedade para combater o uso e o tráfico de drogas.

Veja também

Tié Lenzi
Tié Lenzi
Formada em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande (2009) e mestranda em Ciências Jurídico-Políticas na Universidade do Porto, Portugal.
Página publicada em 26 de Julho de 2018 e última atualização em 4 de Outubro de 2018 às 18:10.
Aviso: Este site não está relacionado a nenhum órgão de governo, autoridade pública, empresa pública ou sociedade econômica mista.